Todo dia é dia de apocalipse

Código: 18341

Subtítulo:

Ano do Material: 2016, Tipo de Material: Livros

Editora: FTD , Edição:Local de Publicação: São Paulo , Ano: 2016

Volume:

Localização: 82/L131t

Autor Principal: LACERDA, Rodrigo

Autores Secundários:

Assuntos:

Valente, Mariana - Ilustrações

Mudanças climáticas - literatura juvenil

Idioma: PORTUGUÊS

Paginação: 79 p.

Resumo: O premiado escritor Rodrigo Lacerda volta sua escrita para um tema relevante a todos: as mudanças climáticas em nosso planeta. Por causa da poluição e do aumento da temperatura globais, todos os dias há um iminente apocalipse na Terra. Diante de tal catástrofe, a ONU convoca cientistas para um grande evento, no qual pudessem apresentar propostas para assegurar a vida das gerações futuras. O jornalista de uma revista científica presente no evento é pego de surpresa quando nota que as pesquisas, em vez de solucionarem as questões, trariam ideias para conviver com elas. O choque dessas propostas absurdas irá mexer não apenas com a comunidade científica, mas também com a vida do jornalista. Com sua peculiar prosa bem-humorada, Rodrigo Lacerda baseou-se em reportagens reais para o enredo, criando uma história totalmente original. Assim, revela que todo dia é dia de revermos nossas certezas e a maneira como vivemos. SOBRE O AUTOR => RODRIGO LACERDA é romancista, contista, tradutor e editor. Filho do editor Sebastião Lacerda e neto do jornalista e ex-governador do Estado da Guanabara, atual Estado do Rio de Janeiro, Carlos Lacerda (1914 - 1977). Em 1987 inicia suas atividades de pesquisador para publicações da Editora Nova Fronteira, pertencente à sua família. Ingressa no curso de história da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC/RJ em 1987, transferindo-se para a Universidade de São Paulo - USP, onde se forma em 1994. No ano seguinte publica seu primeiro romance, O Mistério do Leão Rampante. Como tradutor publica os romances O Médico e o Monstro, do escritor escocês Robert Louis Stevenson (1850 - 1894), e A Nuvem da Morte, de Arthur Conan Doyle (1859 - 1930), em 1992 e 1993, respectivamente. Em 2000, com a publicação do terceiro livro, Tripé, de crônicas, roteiros e contos, Lacerda caminha para uma reorientação do seu estilo, conduzindo sua prosa por um caminho de experimentação. Em 2005, ano em que defende, no Departamento de Teoria Literária da USP, a tese de doutorado João Antônio: Uma Biografia Literária, tem contos publicados em antologias no Brasil e no México e seu primeiro romance, O Mistério do Leão Rampante, é lançado em edição comemorativa de dez anos com ilustrações de Roberto Negreiros (1955). Depois de coordenar e desenvolver trabalhos nas editoras Nova Fronteira, Edusp, Nova Aguilar e Cosac & Naify, transfere-se para a Mameluco Produções Artísticas e assume a gerência de atividades editoriais e participa da elaboração do site José Bonifácio - Obra Completa e da edição do livro O Banqueiro do Sertão, de Jorge Caldeira, sobre a formação econômica de São Paulo.

Referência Bibliográfica: LACERDA, Rodrigo. Todo dia é dia de apocalipse. São Paulo: FTD, 2016. 79 . p.

ISBN: 978-85-96-00407-7

Relação de Exemplares deste material

Nr. Situação Edição Volume Coleção Campus
19922 Disponível Livro ESIC